10 anos de «Missão Servir»

10 Anos! 10 Anos recheados de amor, sonhos, algumas lágrimas (só para não dizer que são muitas), de música, de abraços, de tanta coisa, que poderia encher uma página, de tanta coisa que já proporcionaste e continuas a proporcionar.

Talvez hoje seja um dos dias mais difíceis aqui por lisboa, afinal é o primeiro ano que passo longe (mas sempre pertinho do coração, como me ensinaste) de ti no teu aniversário.

Contigo passei por momentos únicos, aquele dia em que uma funcionária num módulo disse que não valia a pena, e valeu para o resto das nossas vidas, porque “ninguém te ama como eu”, o dia em que o Pedro foi ordenado padre, o dia em que a D. Eugénia foi à missa, o dia em que os velhinhos do lar nos pediram para voltar, o dia em que os meninos da creche pediram pra ficar “só mais um bocadinho”, o dia em que de um gesto bem pequenino fizeste maravilhas, e que maravilhas fizeste em mim, o dia em que depois de tanto trabalho recebemos um prémio, e depois outro, e outro, mas não foi pelo prémio, foi pelas pessoas que me deste, umas mais fáceis que outras, mas se tudo fosse fácil, não tinha piada nenhuma.

Sabes Missão Servir?

Posso dizer que és a menina dos meus olhos, e tão brilhantes que ficam quando falo de ti, não só de ti, como daqueles que passaram por mim, nas visitas de amizade, na sala de multideficiência, no lar, na creche, no jardim-de-infância, no Aconchego, no CJPII, em todo o lado por onde passei contigo. Já para não falar dos voluntários, sabes por acaso a sorte que tens?! Quero dizer, não sei se és tu que a tens, se somos nós, por um dia teres entrado no coração e por lá teres ficado. Obrigada por teres ficado no meu!

Aos novos voluntários, deixem-se levar por este Clube que faz maravilhas em vós, deixem-se tocar, permitam que este Clube habite em vós. Acreditem que até o gesto mais pequeno, faz maravilhas.

Que o teu dia seja tão maravilhoso, quanto os quatro anos em que estive colada a ti, agora peço-te que permaneças, não só no meu coração, mas em todos os corações que por aí andam.

Obrigada, muito obrigada, por continuares a habitar em mim!

“Permanece em mim, que Eu permanecerei em vós”

 

A voluntária,

Joana Rosado